Connect with us

Apadrinhamento Afetivo Recife

Apadrinhamento Afetivo Recife

Uncategorized

Apadrinhamento Afetivo Recife

Apadrinhamento Afetivo Recife

Quer saber mais sobre Apadrinhamento Afetivo Recife? Continue a leitura deste artigo e descubra tudo a respeito deste grande gesto como fazer para participar desse programa social.

 

 O que é Apadrinhamento Afetivo Recife?

Antes de começar a falar sobre Apadrinhamento Afetivo, vale lembrar que o  futuro que queremos para o nosso planeta está nas mãos das novas gerações, mas como imaginar um mundo melhor quando somos 12 milhões de meninos e meninas no Brasil em situação de privação, marginalização e vulnerabilidade (sem acesso a nutrição, educação e saúde)?

Para garantir um futuro melhor a essas crianças, o apadrinhamento tem se tornado uma forma cada vez mais viável. Para que você entenda melhor como funciona o apadrinhamento, vamos esclarecer as duas formas mais comuns dessa doação, bem  quem é ajudado e, principalmente,  quem está ajudando.

O apadrinhamento afetivo permite a um padrinho restabelecer a vida familiar de crianças e jovens que não tenham este apoio emocional por parte dos seus tutores, desta forma o menor  tem a oportunidade de se relacionar e de viver noutro ambiente encorajador da vida. para desenvolver suas habilidades emocionais e cognitivas.

Vale a pena lembrar que esse tipo de apadrinhamento ainda permite que o padrinho ou madrinha participe das reuniões escolares criança ou adolescente, participando efetivamente da rotina deles. Além disso, é preciso deixar claro que esse projeto não implica em nenhum vínculo jurídico, como a adoção.

As pessoas agraciadas com esse nobre gesto recebem orientações e acompanhamento de uma equipe técnica para que possam formar vínculos afetivos de forma consciente e saudável. A seleção inclui ainda uma visita técnica à residência e também o cumprimento de pré-requisitos, como como:

  • ter no mínimo 21 anos;
  • dispor de tempo para participar de reuniões e oficinas;
  • apresentar toda a documentação requerida pelo sistema;
  • respeitar todas as regras do local onde a criança mora e convive.

Esses requisitos podem variar de  instituição para instituição. Por exemplo, alguns exigem uma idade mínima de 18 anos em vez de 21. Algumas localidades também podem exigir uma avaliação psicológica e autorização para visitas técnicas em sua residência.

Depois de se tornar  padrinho, você desempenha um papel muito importante na vida de seu afilhado. Além das viagens e  visitas, você também pode ser a pessoa que o leva ao médico ou dentista e o ajuda nos deveres de casa, entre outras coisas. Atividades que estão ao seu alcance.

Vale lembrar que no caso de adoção, há a separação total entre a criança e os pais biológicos, o que não ocorre no apadrinhamento afetivo, neste último a criança continua sob  responsabilidade dos pais e nada muda na documentação, por exemplo, uma mudança de nome.

Um apadrinhamento afetivo é mais sobre uma família ou indivíduo que recebe uma criança com amor, dedica sua vida a ela, constrói um relacionamento e a criança continua a viver com os pais biológicos ou responsáveis ​​legais.

Esse é um conceito que pode ser facilmente confundido pela maioria das pessoas que buscam informações sobre o assunto. Mas as situações são diferentes. Com a família substituta, a criança é cuidada por um período de tempo predeterminado.

Faz parte do cotidiano familiar e é considerado  parte dela até o final do prazo, é muito semelhante à questão da adoção, exceto pela questão do tempo, pois a família é responsável pela criança em todos os aspectos.

As famílias que fazem esse  acolhimento são formadas para acolher crianças, sendo também recomendado  que cada família acolha apenas uma criança, excluindo irmãos, que se mantenham afastadas da  família de origem e que recebam acompanhamento psicológico e apoio de equipas especializadas.

No apadrinhamento afetivo, porém, não há um horário fixo para ficar com a criança e há menos formalidades, como levar o apadrinhado de férias.O convívio familiar no dia a dia não está tão presente quanto no cumprimento. , embora o padrinho amoroso também possa passar mais tempo com o afilhado.

O apego e o carinho demonstrados à criança é um dos principais fatores na formação de seu caráter e também de sua personalidade. Esse sentimento pode até prevenir doenças mentais, como  depressão e ansiedade.

A infância é crucial para o seu crescimento pessoal , compreensão do mundo e das relações. É importante que  sejam amados e recebam carinho. Isso os torna adultos mais confiantes e  independentes.

Portanto, se você tem filhos ou mora com crianças, reserve um tempo durante o dia para brincar com eles, incentive-os a explorar, elogie-os quando for apropriado, receba-os quando estiverem com medo e trate-os com gentileza.

São pequenas ações do dia a dia que vão mudar a sua vida porque se uma criança é tratada com frieza e seus pais sempre ficam bravos quando falam com ela, ela vai entender que essa é a forma correta de  falar com outras pessoas. e trate o   dela com amor, afinal, você é a pessoa em quem ela mais confia.

Apadrinhamento financeiro é uma modalidade disponível no ChildFund Brasil. Essa ajuda valiosa é um caminho encontrado por pessoas altruístas que querem ajudar imediatamente e não têm tempo para a modalidade anterior. Doe no mínimo  R $67,00 por mês. O valor doado mensalmente é repassado para instituições com projetos sociais que visam, entre outros, o desenvolvimento social das crianças, alimentação de qualidade, convívio com outras crianças e atividades de lazer.

Além do apoio financeiro, os padrinhos podem criar um vínculo afetivo com seus afilhados por meio  de correspondência. Aliás, também é possível  telefonar ou visitar o seu afilhado ou afilhada para ter a oportunidade de se envolver num projeto social, mas também para saber quem proporcionou essas situações.

 

Como fazer Apadrinhamento Afetivo Recife?

Apadrinhamento Afetivo Recife

Em Recife o apadrinhamento afetivo acontece através do  projeto “Pernambuco que acolhe”. Esse projeto tem a intenção de proporcionar convivência comunitária às crianças e adolescentes que permanecem nas instituições de acolhimento sem a possibilidade de retornar à família de origem e com poucas perspectivas de adoção.

Sendo assim, o projeto é destinado a crianças (a partir dos 10 anos) e adolescentes. Também podem ser apadrinhados crianças e adolescentes com deficiência de qualquer idade. Além disso, o apadrinhamento não implica vínculo jurídico entre padrinho/madrinha e afilhado(s).

Para participar os candidatos a padrinhos/madrinhas não devem possuir demanda judicial, ou seja, não podem existir ações ou processos nos quais eles  sejam acusados, indiciados ou citados como réus ou cúmplices de crimes previstos em lei.

Além disso, existem 3 tipos de Apadrinhamento nos quais os candidatos podem se enquadrar, sendo eles:

Padrinho/madrinha afetivo(a) – esse é o tema do nosso texto, sendo o Apadrinhamento Afetivo aquele no qual o Padrinho regularmente, visita a criança ou o adolescente, e pode levá-lo para passar finais de semana, feriados ou férias escolares em sua companhia, proporcionando, assim, a vivência social e afetiva por meio da convivência familiar.

Padrinho/madrinha provedor(a) – é aquele que dá suporte material ou financeiro à criança e/ou ao adolescente, à instituição ou à família acolhedora, seja com doação de material, patrocínio de cursos profissionalizantes, reforço escolar, prática esportiva e até mesmo contribuição mensal em dinheiro, material de limpeza, construção, oferecendo um suporte financeiro estável para a criança e/ou adolescente.

Padrinho/madrinha profissional – já o apadrinhamento profissional é aquele no qual o padrinho disponibiliza seu trabalho voluntariamente para atender às necessidades de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional.

Isso pode ser feito por profissionais como: Médicos, Artistas, Psicólogos, Odontólogos, Fonoaudiólogos, Professores, Cabeleireiros, Músicos, entre outros profissionais. Nesse caso também são aceitas pessoas jurídicas.

 

Vale a pena lembrar que em um quadro geral a função dos padrinhos e madrinhas pode também ser o de dar conselhos e participar do cotidiano da criança ou do adolescente em diversos momentos de sua vida.

Citando alguns exemplos práticos, o Padrinho ou Madrinha pode participar de eventos como por exemplo nas reuniões com os professores, além de também também ajudar nas tarefas da escola.

 

Outras atividades importantes podem incluir levar ao médico, ao dentista, e claro, proporcionar ótimos momentos de convivência e lazer.

Vale lembrar também que a atenção e o afeto disponibilizados ao afilhado são muito mais eficazes que qualquer palavras;

Ao apadrinhar lida-se com crianças e adolescentes que muitas vezes sofrem com problemas como baixa autoestima, sensação de abandono e dificuldades de socialização e criação de vínculo, como já citamos acima.

Além disso, a responsabilidade emocional do padrinho com a criança é muito grande. Sendo assim, uma relação de amizade e confiança é estabelecida, por isso é preciso estar seguro da decisão antes de participar de um programa de apadrinhamento.

Finalizando, vale a pena mencionar mais uma vez que  é pré-requisito ter disponibilidade emocional e de tempo, a longo prazo.

Afinal, neste tipo de relação, o padrinho afetivo precisa saber que é fundamental ter continuidade e estabilidade no relacionamento, estando presente na vida da criança ou do adolescente com constância durante o Apadrinhamento Afetivo.

Ficou interessado e quer ser padrinho ou madrinha? Você deve então Preencha o formulário online e consulte a documentação necessária no site do TJPE.

Lá você deve entrar em contato com a CEJA através do e-mail: [email protected] ou telefone: (81) 3181.5953/5920. O horário de atendimento da Equipe Técnica é das 7h às 13h.

Tem dúvida sobre o Apadrinhamento Afetivo Recife?

 

 

Continue Reading
Faça seu comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Uncategorized

To Top